Recebi uma entrevista entre Max Gueringuer da Rádio CBN e o famoso guru de carreiras Reynold Remhn. A entrevista é interessante e faz algumas críticas ao modo como nossa geração trata a carreira e a própria vida.

Vou colocar um pequeno trecho da entrevista e comentar em seguida:

Max Gheringer: Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?

Reynold Remhn: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprender. É por isso que sofremos. Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem consegue aproveitar agora os frutos do seu trabalho.

Max Gheringer: O profissional do futuro será um individualista?

Reynold Remhn: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho. Porque se cair, não terá ninguém para ajudá-lo a levantar.

Max Gheringer: Que conselho o senhor daria aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?

Reynold Remhn: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados numa fogueira.

Max Gheringer: E para os funcionários que tem chefes centralizadores e perversos?

Reynold Remhn: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.

Max Gheringer: O que é exatamente sucesso?

Reynold Remhn: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça.

É fato que nossa geração parece querer viver só depois de realizar todos os sonhos. E nesse fim de semana tive mais um relato disso.

Um amigo me disse que vivia durante a semana pensando apenas na sexta, sábado e domingo. No tempo que teria para fazer aquilo que realmente gostava. E que essa situação trouxe uma série de problemas como ansiedade e instatisfação.

E o mais importante que gostaria de dividir com vocês. Ele me disse como conseguiu tornar a vida um pouco mais proveitosa. E compartilho com vocês o ensinamento:

Ele passou a anotar ao final do dia aquilo que valeu a pena e talvez aquilo que custou um pouco de sofrimento mas acabou. Depois de um tempo passou a perceber melhor sua vida e sentir prazer nas pequenas coisas do dia-a-dia.

A minha última dica é para os que pensam que quando ganharem uma cifra alta por mês em uma grande empresa ali terão a felicidade. Isso é uma grande besteira se isso vier acompanhado de um fardo muito grande como por exemplo passar muito menos tempo com as pessoas que você ama.

Quero ressaltar acima de tudo que não devemos adotar o Carpe diem como lema em nossas vidas. Eu apenas quero te dizer que sua felicidade não depende das suas realizações. Você pode alcançar a felicidade hoje e agora.

Aproveitando, ouça a entrevista completa no player abaixo.

Aguardo seus comentários.