Hoje vamos começar com o ponto fundamental de todo processo de desenvolvimento: Lógica de programação. Afinal, todos que esperam algum dia criar um sistema precisam desenvolver seu raciocínio lógico. Mas o que é Lógica? Bem, não é fácil definir o que é lógica sem usar um jargão ou uma destas definições de livros acadêmicos, por isso, vou usar uma definição que encontrei na wikipedia: “…a lógica é o ramo da filosofia que cuida das regras do bem pensar, ou do pensar correto, sendo, portanto, um instrumento do pensar”. Viram como é difícil? Mesmo a definição da wikipedia é bastante confusa, mas podemos perceber que a lógica esta diretamente relacionada ao raciocínio.

É justamente neste ponto que começa todo desenvolvimento de sistemas. Pois, um sistema nada mais é do que a união de várias pequenas soluções de problemas. E para resolver problemas precisamos raciocinar. Todo desenvolvedor de sistemas precisa antes de mais nada saber “lógica de programação”, ou seja, precisa saber aplicar seu raciocínio na construção de algorítimos. Mas o que são algorítimos?

Um algoritmo é a seqüência finita de passos que levam a execução de uma determinada tarefa. Ou seja, podemos pensar em algoritmo como uma receita ou um manual que mostra a seqüência de instruções resultam na execução desta tarefa. E não importa qual for a tarefa, até mesmo as coisas mais simples da vida cotidiana podem ser traduzidas em algorítimos. Imagine que você vá tomar um banho. Como seria o algorítimo da tarefa “Tomar banho”? Talvez seja mais ou menos assim:

– Início
1) Tirar a roupa.
2) Ligar o chuveiro.
3) Entrar na água.
4) Passar sabonete.
5) Enxaguar.
6) Desligar o chuveiro.
7) Enxugar.
– Fim

Mas não podemos simplesmente dizer a um computador: “Calcule meu imposto de renda” ou “Controle o meu estoque”. Por isso precisamos saber escrever estes algorítimos numa língua que ele compreenda. É neste ponto que muitas pessoas se “desesperam” e pensam: “Ai caramba! Eu tento aprender a falar inglês desde que tenho 5 anos e até hoje não consigo falar nada além de ‘the sky is blue‘ ou ‘the book is on the table‘… como vou aprender mais uma língua?!”. Calma! Aprender uma linguagem de programação não é um bicho de sete cabeças. Como tudo na vida exige apenas um pouco de dedicação, mas não vamos entrar neste mérito, pois já discutimos estes aspectos em nosso primeiro post. Felizmente, para facilitar as coisas vamos utilizar um “pseudocódigos” escritos em PORTUGOL, que é uma espécie de linguagem de programação baseada em verbetes de comando em Português, e portanto de fácil compreensão.

Como qualquer linguagem de programação, o PORTUGOL, que apesar de ser uma base de nosso “pseudocódigo”, exige que sigamos uma série de regras na construção do nossos algorítmos. Podemos resumir rapidamente estas regras da seguinte forma:

  • Usar somente um verbo por frase.
  • Escrever o código mais simples possível.
  • Usar frases curtas e simples.
  • Ser objetivo

Então prepare-se, a partir de nosso próximo post, vamos escrever algorítimos pra valer. Um abraço a todos e bons estudos.