Sempre que criamos uma aplicação Flex, fazemos grande uso de Classes ActionScript que estão na infra-estrutura do Flex ou de Bibliotecas específicas. Uma maneira de reduzir consideravelmente o tamanho de uma aplicação é disponibilizando estas informações na maquina do usuário, fazendo com o que o mesmo faça o dowload apenas uma vez, e assim todas as aplicações compartilharam dessas bibliotecas.  Este recurso compartilhado é conhecido como RSLs (Runtime Shared Libraries).
Atualmente temos dois tipos de Bibliotecas RSLs (Signed e Unsigned), esta diferenciação basicamente define em qual cache(Flash Player ou Browser) estes arquivos serão armazenadas.

O Framework Signed  são arquivos *.SWZ feitos pela Adobe e vão diretamente para o cache do Flash Player  e do browser, podem ser utilizados por qualquer aplicação independente da  origem da aplicação.

Já o framework Unsigned do tipo *.SWF  ira somente para o cache do navegador e somente podem ser acessados por aplicações que possuem este domínio configurado.
Framework de verificação do RSL (RSL Digest)

Como podemos ter várias versões do Framework RSLs,  o flash player cria uma sumarização (Digest) para verificar se a versão existente no cache da maquina é a solicitada pela aplicação. Se a validação for valída a aplicação carrega a o RSL. Caso não, o flash player dispara um erro e tenta carrega o RSL de outra fonte.
Flash Playe Cache

Como dito acima o Flash Player armazena o Framework RSLs, somente signed RSLs podem ser armazenada no Player Cache.

Por default o tamanho do cache é 20 Mb, mas você pode usar este link  para fazer a configuração mais adequada. Nele você poderá configurar o espaço alocado para cache, como também desabilitá-lo.

Utilizando o Framework RSLs no Flex Builder 4 beta 2.

Por default, nesta versão do flash a utilização do Framework RSLs esta habilitada, mas mesmo assim, você pode efetuar configurações e definir quais arquivos usar como  RSLs.

Com o projeto aberto, vá em Project -> Properties   no canto esquerdo da  tela de propriedades, escolha  Flex Build Path.

Propriedade de um projeto

Nesta tela podemos configurar o framework Linkage. Trata de como o arquivo final vai ser composto.

Merge into Code (Incorporar ao Codigo) -> Indica que todas as classes e bibliotecas serão adicionadas ao SWF, gerando um arquivo sem nenhuma dependencia e consequentemente grande. Neste caso, a aplicação não precisa tentar carregar as bibliotecas externamentes do cache ou de outros reposítorios. Tudo é carregado em um arquivo uníco todas as vezes que a aplicação é carregada.

RSL -> Nesta opção a aplicação irá carregar o Framework RSL, o que significa um arquivo SWF menor, e as bibliotecas ficarão fora da aplicação carregada somente uma vez na maquina do cliente.

A grande sacada da utilização deste Framework, se faz quando o usuário armazena estas bibliotecasem cache (mesmo que sem saber), o usuário ganha pois não precisará fazer dowloads de arquivos redundates, e o desenvolvedor poderá disponibilizar aplicações bem mais leves.

Uma simples aplicação “Hello World”, demonstra claramente a diferença entre usar o framework ou não .

<s:application minheight="768" minwidth="1024" xmlns:mx="library://ns.adobe.com/flex/halo"
xmlns:s="library://ns.adobe.com/flex/spark" xmlns:fx="http://ns.adobe.com/mxml/2009">
<s:label horizontalcenter="0" verticalcenter="0" text="hello World"></s:label></s:application>

Abaixo, os arquivos gerados pelo Flex, utilizando a opção “Merge Into Code”, onde o arquivo Project.flw ficou com 471kb. Diferente do resultado obtido quando gero utilizando a opção “Runtime Shared Library”, onde o arquivo Project.flw fica com 99Kb.

É perceptível, que são gerados novos arquivos, quando fazemos o uso deste Framework. Estes arquivos são justamente as Bibliotecas que irão para o cache da maquína, e serão carregados somente uma vez.